Amigo dos boleiros, Joel Carlo anuncia live com dupla campeã pelo Grêmio e conta história hilária de Douglas

Foto: Reprodução/YouTube
0

Ainda não se trata do retorno dos jogos, mas o torcedor gremista poderá, de certa forma, matar a saudade do time na próxima sexta-feira, dia 1°. A partir das 17h, o cantor sertanejo Joel Carlo fará uma live acompanhado de dois grandes nomes da história recente do Grêmio: Maicon e Douglas.

A live beneficente servirá para arrecadar doações com destino a instituições assistenciais que estão no combate ao coronavírus. Na primeira live, que já teve a participação de Douglas, o cantor arrecadou 4.2 toneladas de alimentos – nesta sexta, haverá uma vaquinha online para quem quiser ajudar.

Cantor por paixão, sertanejo por formação e amigo dos boleiros, Joel Carlo bateu um papo com o Zona Mista para dar mais detalhes do novo projeto e aproveitou para contar uma história divertidíssima do amigo Douglas. Confira:

Zona Mista: Como começou a sua história na música e qual a importância que você dá às lives solidárias nesse momento de pandemia?

Joel Carlo: Bom, minha história na música começou desde cedo. Comecei a cantar e tocar violão com 5 anos de idade, bem cedo (risos). Mas profissionalmente com 12 eu já ganhava pra cantar. Era pouco, mas já ganhava a vida com música. E desde então não parei mais. A música é meu DNA, minha base, minha inspiração e minha transpiração. Tudo que falo e faço é baseado na música. E sobre as lives, creio que é uma ótima oportunidade de mostrar o trabalho e impulsionar a carreira. Porém, nesse momento tão importante, o objetivo maior é conseguir ajudar o máximo de pessoas. Pra que tudo passe logo e voltemos à rotina e vida normal que tínhamos antes.

ZM: O quanto, na sua opinião, a música sertaneja e o futebol andam lado a lado?

JC: Rapaz… é algo que me surpreendeu no começo quando comecei a me relacionar com os jogadores. Achava que os caras só gostavam de pagode, mas me enganei feio, viu (risos). Tem muito jogador que ama música sertaneja. Isso me deixou surpreso e feliz ao mesmo tempo. Hoje vejo que a música não tem gênero nem estilo e o futebol é tão abrangente quanto a música. Por isso, creio que não tem como um viver sem o outro. Música e futebol andam lado a lado, sem dúvidas.

ZM: Como começou a sua parceria com o Douglas? Quais outros jogadores que você mantém boa relação?

JC: A parceria com o Douglas começou em 2015. Foi realmente intensa nossa primeira vez (risos). Tô zoando. Intensa no sentido que ficamos bebendo e cantando moda até o dia amanhecer. Rapaz, ali já vimos que gostávamos das mesmas coisas. Ele ama música e eu amo futebol. Imagina você estar com alguém que você admira e poder chamar essa pessoa de amigo, de irmão. Nossa relação vai além disso, hoje somos como irmãos. Sempre que a gente pode, estamos juntos. Isso é incrível. Difícil dizer quantos outros amigos eu tenho no futebol, mas é bastante gente. Fora do Rio Grande do Sul tenho uma relação muito forte com vários jogadores, dentre eles Luan e Ramiro, do Corinthians, Pedro Rocha, do Flamengo, Edilson, do Cruzeiro, Fábio Santos, do Atlético-MG e Henrique Almeida, do Goiás.

ZM: Conte, por favor, a sua história favorita e mais divertida ao lado do maestro Douglas.

JC: Sem dúvidas, a história do dentista. Certa vez eu estava em um show e quando acabou, vi que tinha umas 20 ligações dele no meu celular. Só que isso já era umas 3 da manhã. Aí eu retornei pra ele. Douglas me disse que estava na minha cidade e que estava me esperando (risos). Eu pensei: “Meu Deus do céu, hoje vamos amanhecer de novo”. Mas, quando eu o encontrei, ele estava com o dente quebrado. Resolveu brincar com um outro amigo nosso e quebrou o dente. Tinha um outro problema. Era feriado no dia seguinte e eu disse pra ele: “Cara, como você vai fazer pra arrumar isso? Hoje ninguém atende”. Eu gargalhava. Mas, bom, aí conseguimos um amigo dentista que atendeu ele. Só que o mais engraçado nem foi isso. Douglas exigiu que eu fosse junto no consultório. Do contrário, ele não iria. Ele me disse: “Mano, eu vou, mas você vai também e leva o violão”. Aí eu ri e disse: “Tudo bem, mas só vou se eu puder cantar”. Aí já viu, saiu por tudo que é lugar essa matéria na época. Era algo como: “Douglas quebra o dente e vai no dentista com cantor sertanejo” (risos). Cara, foi hilário ele sendo atendido às 10 da manhã e eu cantando no dentista”.

ZM: Na sexta-feira, você vai lançar a nova música de trabalho. Profissionalmente, quais as expectativas ainda pra esse ano de 2020 na música?

JC: Sim, vou lançar a música #BeijarBeber. A expectativa é a melhor possível. Pois já tem muita gente pensando negativo e puxando as coisas pra trás. Meu lema é fazer o melhor sempre, independente do momento que estamos vivendo no Brasil e no mundo. A música não pode parar. Música é vida também. Música inspira as pessoas e move as pessoas. Não existe vida se não tiver música. Então vamos lançar ela com maior carinho do mundo e vamos trabalhar muito dentro das limitações pra levar ela pra cada canto desse Brasil.

Outros clássicos sertanejos estão no repertório de Joel como “Fogão de Lenha, Fio de cabelo, Entre tapas e Beijos, É o amor”, dentre outros.

Serviço:

Live: Churrasco Modão

Apresentação: cantor Joel Carlo

Participações: Maicon e Douglas

Sexta-feira, 01 de maio de 2020, às 17h.

YouTube: youtube.com/joelcarlojc 

Grupos WhatsApp: Apenas para receber as últimas notícias do zona mista

Comentários
Loading...

Utilizamos cookies. Ao continuar acessando este site você estará concordando com as políticas de privacidade. Aceitar Ler políticas

Políticas & Cookies