Coudet minimiza erro de Rodinei, cita “craque” do time e aposta em recuperação de Marcos Guilherme

Confira mais detalhes da entrevista dada pelo treinador ao jornalista colorado Fabiano Baldasso

Em aproximadamente 1h de entrevista nesta sexta-feira, o técnico Eduardo Coudet conversou com o jornalista colorado Fabiano Baldasso e aprofundou inúmeros temas do Inter, dentre eles alguns erros individuais como por exemplo o ainda recente de Rodinei, contra o Bahia.

Já na parte final do duelo no Beira-Rio, o lateral-direito cometeu um pênalti fora do lance e o jogo terminou em 2×2 com a cobrança certeira de Clayson. Coudet não citou especificamente o nome do lateral, mas destacou que os erros acontecem para serem corrigidos:

“Normalmente, há virtude e erro nos gols. Quando toma, tem virtude do rival e erro teu. Mas os gols são evitáveis. São coisas que vamos corrigindo. Para corrigir, tem que passar por isso. Mas não perdemos uma partida por um jogador só, nem ganhamos por um só. Somos sempre um grupo”, colocou.

Edenilson joga em qualquer uma posição

Pela direita, pelo centro, recuado, mais adiantado… se tem um jogador que não preocupa Coudet é Edenilson, chamado de “craque” pelo treinador durante a entrevista:

“Pra mim, Edenilson é um craque. Pode jogar em qualquer lado. É conceitual explicar onde o jogador vai jogar. Eu creio que temos bons jogadores e vou compreendo cada vez melhor os jogadores. Eu gosto dos jogadores que jogam bem”, declarou.

Em seu sistema 4-1-3-2, Coudet tem variado o camisa 8 como a peça central da linha de três e como o extrema pela direita.

MARCOS GUILHERME

Após um início excelente com a camisa do Inter antes da paralisação geral, o meia-atacante Marcos Guilherme, que chegou a ser titular, perdeu espaço nos últimos jogos a partir de atuações abaixo de sua própria média.

Ainda que reconheça a queda de desempenho do velocista, Coudet segue apostando muito no seu futebol:

“Marcos vai voltar bem. Às vezes você está com alguma questão na sua vida pessoal e simplesmente não vai jogar quando tem partida com os seus amigos. Os nossos não têm esta opção, são profissionais e precisam ir de qualquer jeito. Marcos vai recuperar, ele se pressiona muito. Teve aquela bola do Botafogo, escapou. Faz parte dos nossos jogadores importantes. Jogar mal um jogo, dois jogos, não é drástico. E sair da equipe para entrar outro não é drástico. Assim se arma um grupo”, explicou Chacho.

Líder do Brasileirão com 20 pontos, o Inter volta a campo no próximo domingo, 18h, contra o Goiás, fora de casa.

Grupos WhatsApp: Apenas para receber as últimas notícias do zona mista

Comentários
Loading...

Utilizamos cookies. Ao continuar acessando este site você estará concordando com as políticas de privacidade. Aceitar Ler políticas

Políticas & Cookies