Dirigentes do Inter alegaram pagamento a pai de santo para explicar notas falsas

O Ministério Público, ao apresentar a conclusão da primeira parte das investigações sobre a gestão do Inter entre 2015 e 2016, revelou uma informação bem curiosa. Segundo os dirigentes, um dos pagamentos investigamentos foi para um pai de santo como forma de justificar notas fiscais fraudadas nas prestações de conta do clube.

O valor pago a esse pai de santo teria sido de R$ 3 milhões, em março de 2015, ainda no início da gestão de Vitorio Piffero. O rebaixamento, vale lembrar, só foi consumado no final da temporada seguinte, conforme citou o promotor do MP e coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, Flávio Duarte.

“Um pai de santo, até onde sei, não deve ter nota fiscal por prestação de serviço. Como eles justificariam a despesa com um pai de santo? Como nós vamos pagar isso? O que eles fizeram, eles simularam uma despesa relacionada a obras para justificar aqueles valores que foram pagos ao pai de santo. Não me recordo de necessidade de um pai de santo no Inter em março de 2015, não havia perspectiva de rebaixamento, era início do Gauchão. Nem vamos entrar nessa minúcia, já seria um absurdo de qualquer forma. Mesmo assim não teria razão para ter pai de santo durante dois anos e R$ 3 milhões para o pai de santo e outra despesa”, explicou.

No total, estima-se que mais de R$ 13 milhões dos cofres do Inter tenham sido desviados pela gestão. O Globoesporte.com fez o levantamento de todos os denunciados:

Todos os denunciados

  • Vitorio Piffero, ex-presidente do Inter
  • Pedro Affatato, ex-vice de Finanças do Inter
  • Emídio Ferreira, ex-vice de Patrimônio do Inter
  • Carlos Pellegrini, ex-vice de Futebol do Inter
  • Carlos Eduardo Marques, engenheiro do Inter
  • Arturo Affatato, empresário e irmão de Pedro Affatato
  • Paola Affatato, empresária e irmã de Pedro Affatato
  • Adão Silmar de Fraga Feijó, contador
  • Ricardo Bohrer Simões, empresário da construção civil
  • Carlos Alberto de Oliveira Fedato, empresário de futebol
  • Giuliano Bertolucci, empresário de futebol
  • Fernando Otto, empresário de futebol
  • Rogério Braun, empresário de futebol
  • Paulo Cezar Magalhães, ex-jogador e tio do ex-lateral do Inter de mesmo nome

 

Enquete

Você é favorável ao retorno dos jogos de futebol?

  • Somente a partir de junho, com portões fechados (38%, 2.402 Votos)
  • Não há condições de ter futebol em 2020 (26%, 1.667 Votos)
  • Sim, imediatamente, mas com portões fechados (24%, 1.493 Votos)
  • Sim, imediatamente (12%, 776 Votos)

Total de Participantes:: 6.338

Carregando ... Carregando ...

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Loading...

Este site Web utiliza cookies, incluindo cookies de terceiros e web beacons para melhorar a sua experiência online, permitindo-nos adaptar os nossos conteúdos para si com base nos seus interesses e nos seus hábitos de navegação. Ao continuar a utilizar o nosso site Web, você aceita a utilização de cookies e de web beacons pela nossa parte. Para obter informações sobre os cookies que utilizamos, para obter mais detalhes sobre como processamos os seus dados pessoais e para obter informações sobre como pode retirar o seu consentimento (que poderá fazer em qualquer momento), clique em ler nossas políticas Aceitar Ler políticas

Políticas & Cookies