Grêmio demonstra luto após seguranças matarem homem negro em mercado: “Chega de preconceito”

Tricolor gaúcho usou o perfil oficial no Twitter para lamentar o acontecimento desta quinta-feira

Assim como o Internacional, o Grêmio também fez uma manifestação nas redes sociais lamentando a morte de João Alberto Silveira Freitas, espancado e asfixiado nesta quinta-feira por dois seguranças do supermercado Carrefour, localizado no Passo D’Areia, em Porto Alegre.

O lamentável caso viralizou nas redes sociais, com João, de 40 anos, sendo espancado e imobilizado por dois seguranças. Enfermeiros ainda chegaram para tentar reanimá-lo, mas não conseguiram impedir o óbito.

“Até quando teremos famílias destruídas e sonhos desfeitos, como os de João e de te tantos outros, pela falta de consciência e o desrespeito à vida humana? Discriminação racial não é algo que possa ser relativizado, mas permanentemente combatido! #ChegaDePreconceito #ClubeDeTodos“, publicou o Grêmio via Twitter – confira os posts:

Os dois envolvidos, um de 24 anos e outro de 30 anos, foram presos em flagrante. Um deles é policial militar e foi levado para um presídio militar. O outro é segurança da loja e está em um prédio da Polícia Civil. A investigação considera o crime como homicídio qualificado.

A partir do meio da tarde desta sexta, cerca de 100 pessoas foram até em frente ao Carrefour protestar contra a morte de João, ganhando o apoio de motoristas que passavam pelas ruas próximas.

Confira a nota do Carrefour:

O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.

 

Veja (após a publicidade) grupos de WhatsApp para participar.

Grupos WhatsApp: Apenas para receber as últimas notícias do zona mista

Comentários
Loading...

Utilizamos cookies. Ao continuar acessando este site você estará concordando com as políticas de privacidade. Aceitar Ler políticas

Políticas & Cookies